Periódicos

Imprimir
Pentacórnio e último
AA.VV.
Textos de António Sérgio, António Pedro, Mário Fernandes Ferro,
Adolfo Casais Monteiro, António Quadros Ferro, Carlos Eduardo Soveral, Delfim Santos, Eduardo Lourenço, Fernando Lemos, Jorge de Sena, José-Augusto França, José Blanc de Portugal e Óscar Lopes.
Poemas de Jorge de Sena, Ruy Cinatti, Thomaz Kim, Alberto de Lacerda, José Terra, Alexandre O’Neill e Fernando Marçal.

Desenhos de Fernando Azevedo, Fernando Lemos e Vespeira.
Capa de Fernando Lemos.
Vinhetas de Vespeira e António Pedro.

Composto e impresso na Tipografia António Jorge em Lisboa.
José-Augusto França
26,5X19,8cm
70 páginas
não temos informação sobre o número total da tiragem.
1956
(Dezembro)
Lisboa
não tem
Capa impressa a 2 cores (vermelho e preto). Texto impresso a tipografia.
Pentacórnio e último é uma antologia de inéditos de autores portugueses contemporâneos, publicado na sequência de Unicórnio, Bicórnio e Tricórnio.

Adolfo Casais Monteiro, António Quadros Ferro, Carlos Eduardo Soveral, Delfim Santos, Eduardo Lourenço, Fernando Lemos, Jorge de Sena, José-Augusto França, José Blanc de Faria e Óscar Lopes escreveram ensaios sobre o tema dominante deste número - “Para um conceito actual de modernidade”.

Esclarece José-Augusto França que os inquéritos publicados neste número e nos anteriores visavam menos “o esclarecimento dos problemas do que a investigação das reacções aos problemas, possíveis num dado tempo e numa dada terra. Será interessante e proveitoso saber dentro de vinte anos como é que os intelectuais portugueses em 1956 tratavam o tema “Homem Revoltado” ou da “Modernidade”, e esse virá a ser o valor maior da publicação, um valor por assim dizer sociológico.”
Biblioteca Fundação Gulbenkian; Biblioteca Nacional, Lisboa, Portugal.

Biblioteca Kandinsky, Paris, França.
id
date time
2013-07-28 01:00:00